Vila Nova: entre o subúrbio e o centro



Agraciado como o maior representante da vila mais famosa de Goiânia, o Vila Nova Futebol Clube completa 78 anos oficiais em 29 de julho de 2021. Diz-se 78 anos oficiais, pois a história do clube é anterior a sua fundação, confundindo-se com o desenvolvimento do bairro Vila Nova em si.


Vila Nova, o bairro


O bairro surgiu como consequência da construção de Goiânia na década de 30. A fim de garantir a mão de obra qualificada para tal empreendimento, o governo estadual incentivou a migração de operários para o estado de Goiás. Em sua maioria, esses trabalhadores se acomodaram no que viria a ser o setor Vila Nova.


A ocupação de tal localidade não fazia parte dos planos iniciais de construção da cidade, sendo ele um assentamento criado, desenvolvido e habitado pelos trabalhadores da construção civil que subiam os prédios da nova capital.


Apesar de serem essenciais, esses trabalhadores não eram vistos com bons olhos pela elite política e pela burguesia que habitavam o centro da cidade. Sendo assim, a Vila Nova passou a ser vista como o “subúrbio”, que não necessitava de atenção da classe política central.Seus moradores iniciaram, então, um processo de organização comunitária do bairro para atender às suas necessidades crescentes.


A Igreja Católica, na figura de padres Salesianos, envolvia a comunidade de operários em atividades religiosas, mutirões, festas e, é claro, na organização de um time de futebol oriundo das peladas de rua.


O Padre Giuseppe Maria Balestiere, apelidado pela comunidade de José Balestiere, foi um dos grandes incentivadores do esporte no bairro, sendo figura principal na logística do time, que representava o bairro e a igreja.





A comunidade que se desenvolvia na Vila Nova despertou o interesse de burgueses ligados ao poder, como Gercina Borges Teixeira e o Coronel Francisco Ferraz de Lima. Ambos passaram a participar ativamente da vida social do bairro e, posteriormente, do time de futebol. Partiu do Coronel Francisco a ideia de inscrever o time da igreja nas competições organizadas pela Federação Goiana de Desportos.


Vila Nova, o time


O Vila Nova Futebol Clube assim nasceu no dia 29 de junho de 1943, tendo como primeiro presidente o Coronel Francisco Ferraz de Lima. Sim, o Vila Nova foi fundado um mês antes da comemoração oficial de seu aniversário. De acordo com Wilson Balzacchi Brito Júnior, ex-presidente do clube e pesquisador de sua História, isso ocorre pois em seu primeiro estatuto, aprovado em outubro de 43, a data foi grafada de forma incorreta, acarretando na tradição de se comemorar o aniversário do time no dia 29 de julho.


A fundação dos times da capital estava diretamente ligada ao processo de construção física e afetiva de Goiânia. Nota-se que o Vila Nova não fugiu às características históricas que vivia em seu momento de fundação, uma vez que foi apropriado pela elite política que tinha como projeto, desenvolver o futebol goianiense a fim de estreitar os laços entre a cidade e seus moradores.A primeira diretoria vilanovense, formada apenas por pessoas ligadas ao poder político regional, aproveitou-se do sentimento em relação ao time para tais fins políticos. Essa situação gerou um afastamento da diretoria e de suas decisões do bairro em si, local de origem popular do clube.


Entretanto, mesmo os trabalhadores não tendo representatividade na diretoria, o bairro adotou o time. Tal fenômeno pode ser explicado pela proximidade do desenvolvimento do bairro Vila Nova com o do time propriamente dito, que já nasceu com aficionados apaixonados. Mesmo tendo um primeiro ano difícil, a torcida, vinda do bairro, sempre se destacou por estar presente nos jogos.


O Vila Nova passou por algumas mudanças de nome, se chamando Operário e, posteriormente, Araguaia. Essas transformações ocorreram durante as gestões iniciais ligadas à burguesia goianiense. De certa forma, o Vila Nova se reaproxima de seu bairro de origem na década de 1950, quando recupera o seu nome e tem os seus dias de glória na gestão de Onésio Brasileiro Alvarenga, que nomeia o estádio do time.





Iniciada em 1958, a gestão manteve grandes investimentos no futebol vilanovense. De acordo com Jakeliny Silva, historiadora e pesquisadora do Vila Nova, a memória que se estabelece com o time é a de uma instituição ligada aos operários imigrantes e ao Setor Leste Vila Nova, centro da história vilanovense.


Assim como no início de sua história, a torcida vilanovense ainda se faz presente independentemente dos momentos vividos em campo. Apesar de ter sido ocupado por forças políticas burguesas em sua fundação, os apaixonados pelo Vila Nova nunca deixaram de ver no time um representante dos trabalhadores que estão em seu cerne e, consequentemente, em sua alma.


logo site.png